Mapfre

  • mapfre fundacion

    China lidera o ranking nos segmentos Vida e Não Vida de um total de 96 mercados analisados

    A atualização do Índice Global de Seguros Potenciais (GIP), elaborado pelo Serviço de Estudos da MAPFRE, mostra o Brasil como uma das nações com maior oportunidade para o setor. No ranking, que analisou 96 mercados, o país ocupa o oitavo no lugar no segmento Vida, subindo uma posição em relação à edição anterior divulgada em março, e também no de Não Vida, em que se manteve estável.

    Lançado no começo deste ano, o GIP é a primeira métrica internacional que apresenta os países com mais possibilidades de crescimento para a indústria seguradora em médio e longo prazo. O levantamento teve como base o período de 2008 a 2018 e indica que países da Ásia e da África apresentam o maior potencial para seguros e importância relativa no contexto global.

    imagem mapfre 29102019

    De acordo com o Serviço de Estudos, o GIP aumentou em comparação com os valores da década 2007-2017, o que é explicado principalmente pelo desenvolvimento ainda incipiente do produto Vida em países emergentes como o Brasil. O estudo conclui que o potencial de seguro é bastante concentrado, independentemente de se tratar de um mercado desenvolvido ou não, e que permanece semelhante nos últimos anos.

    O diretor Geral de Serviços de Estudos da MAPFRE, Manuel Aguilera, afirma que as expectativas de reaquecimento econômico colaboraram com o ganho de uma posição no ranking de Vida. "Tempos de crises trazem importantes aprendizados em relação à economia e finanças pessoais. Neste sentido, apresenta-se uma valiosa oportunidade para o mercado segurador brasileiro, que possui um vasto campo a ser explorado pelas companhias que melhor se posicionarem e adaptarem seus produtos à realidade local", observa.

    "Sabemos do enorme potencial do Brasil para o desenvolvimento do negócio de Vida, e também já percebemos que o consumidor tem demonstrado maior preocupação em ter uma proteção para si mesmo e suas famílias, no caso de um evento não programado", afirma Fernando Pérez-Serrabona, CEO da MAPFRE Regional Brasil e representante da Fundación MAPFRE no país.

    Entenda o GIP-MAPFRE

    O índice desenvolvido pelo Serviço de Estudos da MAPFRE se baseia em estimativas da Estimativa da Abertura de Proteção do Seguro (BPS), que representa a diferença entre a cobertura de seguro economicamente necessária e benéfica para a sociedade e o valor dessa cobertura realmente adquirida, e modifica-se em função do crescimento econômico e da população de um país, assim como do surgimento de novos riscos. No caso do Brasil, essa diferença alcançou 314,5 bilhões de reais ou o equivalente a 86 bilhões de dólares.

    Para o cálculo do GIP-MAPFRE, além da BPS, outras variáveis ​​são levadas em consideração, como penetração (prêmios / PIB), tamanho da própria economia ou nível populacional, entre outras. Em resumo, oferece uma pontuação que ordena cada país de acordo com sua contribuição para diminuir o déficit global de seguros.

    Acesse o estudo completo em inglês:
    http://www.fundacionmapfre.org/documentacion/publico/i18n/catalogo_imagenes/grupo.cmd?path=1103681

    Fonte: CDN, em 29.10.2019

  • mapfre fundacion

    Relatório do Serviço de Estudos da MAPFRE mostra retração do setor no Brasil, impactado pelo cenário econômico. Seguros de vida ainda possuem maiores prêmios

    A última edição do relatório “O mercado latino-americano de seguros”, produzido pelo Serviço de Estudos da MAPFRE e publicado pela Fundación MAPFRE, aponta que apesar da evolução positiva do setor de 2008 a 2018, ainda há um longo caminho a percorrer para alcançar um nível de segurança considerado economicamente necessário e benéfico para a sociedade. A análise foi feita em 19 países, incluindo o Brasil.

    No ano passado, o volume de prêmios na região totalizou 150,6 bilhões de dólares, 3% do mercado global - uma queda de 5,5%, frente ao crescimento de 8,6% de 2017. A contratação de seguros de Vida representou 44,6% desse montante, queda de 7,2% em dólares, enquanto a de Não Vida (55,4% dos prêmios totais da região) experimentou redução de 4%. Esses retrocessos estão relacionados com depreciações do câmbio (em especial, o peso argentino e o real).

    Quando o mercado segurador é medido nas moedas locais, uma vez corrigido o efeito da inflação, o comportamento se mostra positivo, principalmente no México, na Colômbia, no Peru e no Chile. O Brasil, entretanto, é um dos destaques negativos, com queda em Vida e Não Vida, com uma diminuição relevante em Automóveis (- 7,4%).

    Na América Latina, o índice de inserção (prêmios/PIB) foi de 2,9% em 2018, igual ao ano anterior. O número também se manteve estável em Vida (1,3%) e Não Vida (1,6%). Ao longo da década 2008-2018, a inserção total na região cresceu 24,4%.

    O indicador de densidade (prêmios per capita) ficou em 246,6 dólares, 6,4% abaixo do registrado em 2017, rompendo a série de dois anos de aumentos consecutivos, novamente resultado da depreciação de algumas moedas locais (real e peso argentino) frente ao dólar e também, de forma mais estrutural, da queda do mercado de seguros de Vida no Brasil.

    A Abertura de Proteção do Seguro para o mercado latino-americano ficou em 254,3 bilhões de dólares no ano passado, 1,9% menor que a estimada em 2017. Desta forma, o mercado potencial de seguros na América Latina em 2018 (soma do mercado de seguros real e o potencial de seguros) foi de 404,9 bilhões de dólares, 2,7 vezes o mercado atual na região.

    Durante o período 2008-2018, o mercado de seguros da região registrou uma taxa de crescimento anual média (em dólares) de 4%, integrada por uma alta de 6,2% em Vida e de 2,6% em Não Vida. Se for mantida essa dinâmica ao longo da próxima década, a taxa de crescimento será insuficiente (- 6,4 p.p.) para cobrir a abertura de seguros determinada em 2018.

    O relatório inclui uma nova estimativa do Índice de Evolução do Mercado (IEM), que aponta tendência e maturidade do setor de seguros. Esse indicador mostra avanços anuais sustentados ao longo da última década, embora com um leve retrocesso em 2014 e novamente em 2018.

     “Muitos fatores podem contribuir para ampliar a penetração do seguro, além do caráter econômico, como ter um marco regulatório eficiente, o que já aconteceu no Brasil, e a promoção da educação financeira, um trabalho que realizamos por meio da Fundación MAPFRE”, avalia afirma Fernando Pérez-Serrabona, CEO da MAPFRE Regional Brasil e representante da instituição no país.

     “Além disso, a iniciativa privada também pode contribuir com a difusão do conhecimento do seguro e a melhoria de sua percepção por parte da sociedade, como também viemos fazendo há anos, por meio da publicação de estudos e pesquisas como este.” discorre Manuel Aguilera, diretor geral de Serviços de Estudos da MAPFRE.

    Mercado segurador no Brasil

    No ano passado, o mercado brasileiro de seguros teve queda nominal de 0,9% e real de 4,4%, chegando a 210.319 bilhões de reais (57.567 bilhões de dólares), impactado pelo momento econômico. Esse comportamento é devido à queda dos prêmios do segmento de Vida.

    Os produtos VGBL reduziram 8,5% nominalmente, após a moderação registrada em 2017, devido à queda dos juros, bem como à forte apreciação e atratividade dos ativos financeiros no mercado de capitais. Já os seguros de Vida individual e coletivo, juntos, tiveram aumento nominal de 11,3% e real de 7,4%. Ao todo, os prêmios do segmento de Vida cresceram 129.975 bilhões de reais (35.576 bilhões de dólares), redução nominal de 4,2% e real de 7,6% real em relação a 2017.

    No ano passado, o volume de prêmios dos seguros Não Vida em 2018 foi de 80.344 bilhões de reais (21.991 bilhões de dólares), um aumento nominal de 5,1% (superior aos 2,3% do ano anterior) e real de 1,4% (-1,1% em 2017). Em valores absolutos, os segmentos de Automóveis e Incêndios foram os que mais contribuíram para o crescimento, e em termos relativos deve-se adicionar Transportes, com alta de 15,2%.

    Se fossem consideradas as contribuições de Previdência Privada, seguros de Saúde e Capitalização, as receitas totais do mercado segurador em 2018 seriam de 287.783 bilhões de reais (78.770 bilhões de dólares), com um leve aumento nominal de 0,5% em relação ao ano anterior.

    Em 2018, as provisões técnicas totalizaram 965.974 bilhões de reais (249.316 bilhões de dólares), com o negócio de Vida representando aproximadamente 92,1% do total, caso seja considerado o negócio de previdência.

    A taxa combinada total do setor brasileiro de seguros melhorou 1,9 p.p. em 2018 em relação ao ano anterior (91,8% frente a 93,7% em 2017), devido à melhora da taxa de sinistralidade em 2,6 p.p..

    Em linhas gerais, os indicadores de rentabilidade do mercado segurador nacional melhoraram em 2018. O resultado líquido das empresas do setor aumentou 8,7% em 2018 - 18.818 bilhões de reais (5.151 bilhões de dólares), com um aporte positivo dos investimentos.

    O índice de inserção foi de 3,1%, superior em 0,9 p.p. ao de 2008 e menor em 0,1 p.p. em relação a 2017, influenciado pelo menor valor dos prêmios de Vida. Por outro lado, o nível de densidade do seguro foi de 1.004,1 reais (274,8 dólares), 1,6% menor que em 2017. Finalmente, o nível de aprofundamento, em 2018, foi posicionado em 61,8%, 12,5 p.p. acima do observado em 2008 na América Latina), porém com uma queda de 2,2 pp no último ano.

    A Estimativa da Abertura de Proteção do Seguro (BPS), em 2018, ficou em 314,5 bilhões de reais (86.082 bilhões de dólares), equivalente a 1,5 vezes o mercado de seguros reais no Brasil no fim do ano passado, sendo que 51,6% desse valor correspondeu a seguros de Vida (162,4 bilhões de reais); e 48,4%, de Não Vida (152,1 bilhões de reais). De 2008 a 2018 a participação dos seguros de Vida caiu quase 11 p.p.

    O mercado potencial de seguros no Brasil em 2018 (a soma do mercado real e da BPS) foi estimado em 524,8 bilhões de reais (143,649 bilhões de dólares); ou seja, 2,5 vezes o mercado de seguro total.

    O IEM mostra uma tendência geral positiva na década pesquisada, que faz inclusive com que o indicador seja positivamente divergente da tendência média dos mercados latino-americanos. Contudo, entre 2017 e 2018 foi observado um recuo.

    Ranking total

    Em 2018, 122 entidades seguradoras atuavam no país, duas a mais que em 2017. O mercado nacional apresenta uma tendência ascendente nos níveis de concentração.

    Acesse o estudo completo em português:
    www.fundacionmapfre.org/documentacion/publico/i18n/catalogo_imagenes/grupo.cmd?path=1103784

    Sobre a Fundación MAPFRE

    Com sede na Espanha e atuação em 33 países, a Fundación MAPFRE é uma instituição sem fins lucrativos, que promove e investe em pesquisas, estudos e atividades de interesse geral da população. Atua para disseminar valores, promover o acesso à informação e à cultura, além de contribuir com o bem-estar da sociedade e com o fomento da inovação social. No Brasil, apoia e desenvolve iniciativas nas áreas de Cultura, Prevenção e Segurança Viária, Seguro e Previdência Social, Promoção da Saúde e Ação Social. Em 2018, suas iniciativas impactaram cerca de 2 milhões de brasileiros. Site: www.fundacionmapfre.com.br

    Fonte: CDN, em 24.10.2019

  • mapfre

    Proteções para o segmento podem ser contratadas de forma modular e abrangem do processo de licitação à extração do produto

    A Petrobrás avançou neste mês com o processo de venda de sua participação em 27 campos de petróleo terrestres no Espírito Santo e em outros 14 municípios na Bahia. A expectativa é de que as concessões ampliem a produção de óleo e gás e aqueçam mercados que fornecem serviços para estes segmentos, como o de seguros.

    Para Jonson Marques, diretor de Empresas da MAPFRE, companhia líder do mercado de Grandes Riscos, a retomada dos leilões deve impulsionar o segmento, que está muito atrelado ao bom desempenho da extração e venda destes produtos.

    “Este segmento deve trazer oportunidades ao mercado segurador em diferentes frentes. Isso porque as empresas que prestam serviços às petrolíferas também precisarão contar com proteções como a de Responsabilidade Civil Operações, Danos Morais e Poluição Súbita”, explica.

    O executivo pontua que as proteções para este ramo são abrangentes e contemplam todas as etapas, desde o processo de sísmica (estudo do subsolo) até a produção. “É possível contratar proteções desde o momento do leilão de concessão. Nesta primeira etapa, geralmente, é adquirido o Seguro Garantia, que assegura que os prazos e valores definidos em contrato sejam cumpridos”, pondera Marques.

    O especialista destaca que, superado o processo de licitação, as empresas têm a opção de adquirir a apólice de risco de petróleo, que ampara todos os riscos das operações de prospecção, produção e perfuração. Este tipo de seguro pode ser contratado de forma modular, em que o cliente adequa as proteções às suas necessidades. “Em virtude da especificidade da atividade, o empresário pode optar por adquirir individualmente a cobertura para danos físicos aos ativos [plataformas]; para o processo de construção de unidades de exploração ou produção; operações de extração ou todas as modalidades em uma mesma apólice, dividida apenas por seções.”

    Outra proteção muito importante para este setor é a cobertura de Responsabilidade Civil Offshore (RC), que ampara os prestadores de serviços nas unidades de operação. A apólice protege contra riscos ocasionados a terceiros em função da atividade exercida.

    Fonte: CDN, em 17.10.2019

  • mapfre

    Eletrodomésticos que compõem a linha branca, como fogão, cooktop, geladeira, freezer, micro-ondas, máquina de lavar roupa e louça, estão cada vez mais tecnológicos e inteligentes, mas sem manutenção adequada, podem apresentar problemas ou parar de funcionar de uma hora para outra.

    Para prolongar a vida útil dos aparelhos e evitar gastos desnecessários, a MAPFRE Assistência, companhia especializada em serviços a pessoas, residências e veículos, orienta para a importância dos cuidados preventivos. “Geralmente, os danos nos eletrodomésticos acontecem por conta de problemas mecânicos, sobrecargas de energia, excesso do limite de capacidade de funcionamento, entre outros. Por isso, algumas ações podem evitar prejuízos financeiros e até precaver o cliente da substituição do item”, diz Flávio Vasques de Oliveira, superintendente técnico e de produtos da MAPFRE Assistência.

    De acordo com a companhia, a máquina de lavar roupa, por exemplo, sofre com objetos esquecidos dentro de bolsos, em especial, moedas ou itens de metal. Outra recomendação é manter o eletrodoméstico longe da ação da chuva, do sol e jamais exceder sua capacidade de funcionamento.

    Confira alguns cuidados simples que podem evitar problemas na sua máquina de lavar:

    • Mantenha a máquina de lavar roupas em um local adequado, onde não chova ou faça sol em excesso;
    • Tente posicioná-la no piso plano;
    • Sempre verifique se os bolsos das roupas estão vazios ao colocá-las dentro da máquina;
    • Nunca ultrapasse o limite de peso da lavadora;
    • Siga o nível correto de água, sabão e amaciante de roupas;
    • Lembre-se de limpar o filtro e o compartimento de sabão da máquina;
    • Limpe o exterior da máquina com água morna e sabão. Não utilize produtos abrasivos nem solventes.
    • Já em geladeiras, frigobares e freezers, o compressor é um item com vida útil determinada.

    Por este motivo, é fundamental agendar uma visita técnica a cada dois anos para avaliar o sistema de refrigeração, realizar uma limpeza na parte do motor e até mesmo checar a vedação das portas.

    Caso tenha problemas com algum destes aparelhos em casa, a MAPFRE Assistência pode auxiliar em situações de emergência e facilita o seu dia a dia.

    Para saber mais acesse: www.mapfre.com.br/seguro-br/para-seus-negocios/solucoes-para-assistencia/

    Sobre a MAPFRE

    No país desde 1992, a MAPFRE é um grupo multinacional que forma uma das maiores companhias de prestação de serviços nos mercados segurador e financeiro. Sólida e inovadora, está presente nos cinco continentes e conta com mais de 35 mil colaboradores. Em 2018, suas receitas atingiram cerca de 27 bilhões de euros. Especialista em suas áreas de negócio, a MAPFRE opera com bases de atividades sustentáveis e, no Brasil, atua em seguros, investimentos, consórcios, capitalização, previdência, saúde e assistência. A companhia adota compromissos internacionais como os Princípios para a Sustentabilidade em Seguros (PSI) e integra o Pacto Global da ONU (Organização das Nações Unidas). Também mantém a Fundación MAPFRE, instituição sem fins lucrativos, que promove e investe em pesquisas, estudos e atividades de interesse geral da população. Mais informações em www.mapfre.com.br .

    A MAPFRE Assistência é especializada em assistência a pessoas, residências e veículos. Atende empresas referências em diversos segmentos de mercado como: montadoras de veículos, seguradoras e instituições financeiras. Possui um amplo portfólio de produtos e serviços e uma vasta rede de prestadores. Atua com mais de 18 milhões de consumidores no Brasil e registra cerca de 480 mil atendimentos por ano.

    Fonte: CDN Comunicação, em 11.09.2019

  • mapfre previdencia

    Produto multimercado da companhia foi destaque num período de 10 anos, segundo estudo de dados da Economatica

    Os fundos de previdência da MAPFRE obtiveram mais um importante reconhecimento do mercado. Desta vez, os produtos da companhia estão entre os com melhor performance, num período de 10 anos, segundo levantamento realizado pela XP Investimentos, com base nos dados divulgados pela Economatica.

    No ranking, o fundo Gauss MAPFRE Juro Real FIC Multimercado Previdenciário apresentou um retorno de 223,73% em uma década, o que sugere uma rentabilidade bastante atraente ao consumidor na hora de investir a longo prazo.

    Para o diretor de Vida, Previdência e Odonto da MAPFRE, André Serebrinic, os números demonstram a solidez da companhia em oferecer os melhores resultados aos clientes. “Nossos planos privados são trabalhados de maneira contínua, afim de oferecer ganhos consistentes e que, de fato, contribuam para a conquista de uma aposentadoria mais tranquila e próspera aos nossos clientes.”

    De acordo com o executivo, este indicador é muito importante porque está relacionado à aposentadoria das pessoas, ou seja, planos de longo prazo. “Estar entre os melhores num período de 10 anos mostra como a MAPFRE tem resultados consistentes e confiáveis ao longo do tempo. É fundamental que os clientes analisem este fato quando selecionam o melhor fundo.”

    Susep também destaca produto MAPFRE

    A Superintendência de Seguros Privados (Susep) também destacou a atuação da MAPFRE em recente pesquisa. Na avaliação da instituição, os fundos de Renda Fixa da companhia tiveram rentabilidade acumulada acima de 20% nos últimos dois anos, enquanto os Fundos Multimercados, que incluem produtos administrados pela MAPFRE Investimentos, registraram índices próximos aos 30% - tendo como base o CDI em 14,52%. 

    Sobre a MAPFRE

    No país desde 1992, a MAPFRE é um grupo multinacional que forma uma das maiores companhias de prestação de serviços nos mercados segurador, financeiro e saúde. Sólida e inovadora, está presente nos cinco continentes e conta com mais de 35 mil colaboradores. Em 2018, suas receitas atingiram cerca de 27 bilhões de euros. Especialista em suas áreas de negócio, a MAPFRE opera com bases de atividades sustentáveis e, no Brasil, atua em seguros, investimentos, consórcios, capitalização, previdência, saúde e assistência. A companhia adota compromissos internacionais como os Princípios para a Sustentabilidade em Seguros (PSI) e integra o Pacto Global da ONU (Organização das Nações Unidas). Também mantém a Fundación MAPFRE, instituição sem fins lucrativos, que promove e investe em pesquisas, estudos e atividades de interesse geral da população. Mais informações em www.mapfre.com.br.

    A MAPFRE Previdência desenvolve há mais de 25 anos planos individuais e empresariais com um portfólio amplo e completo de produtos com foco na proteção familiar.

    Fonte: CDN Comunicação, em 22.08.2019

  • mapfre

    Sem burocracia, título de capitalização substitui fiador ou cheque caução em contratos de aluguel

    Nos meses de agosto e setembro, o cliente que adquirir o produto Garantia Fiador, a solução da MAPFRE Capitalização que substitui a figura do fiador ou o cheque caução na locação de um imóvel residencial ou comercial, será contemplado com serviços adicionais de assistência.

    Os benefícios extras oferecidos a quem contratar o produto até o fim do próximo mês são manutenção e prevenção domiciliar (instalação e substituição de itens como suporte para TV, varais, campainhas, torneiras, chuveiro; limpeza de calhas, revisão elétrica e hidráulica, entre outros); assistência para terceira idade (afixação de fitas antiderrapantes em escadas e tapetes e barra de apoio, por exemplo); e pet (serviços variados para cuidados com animais de estimação, inclusive assistência funeral e Pet Home Care). O cliente terá acesso a esses atendimentos extras para contratações até 30 de setembro.

    Segundo André Serebrinic, diretor de Capitalização da MAPFRE, o objetivo deste pacote de condições promocionais é oferecer soluções especiais aos consumidores, além de potencializar os negócios de corretores. "O principal benefício dessa modalidade de título é a garantia de uma locação desburocratizada, ágil e sem análise de crédito ou cadastral."

    Essas vantagens são complementares à assistência residencial – que inclui chaveiro, encanador, eletricista, vidraceiro, helpdesk, check-up da casa e limpeza da caixa d´água – já oferecida nos contratos do Garantia Fiador e disponíveis durante toda a sua vigência.

    O título de capitalização da MAPFRE proporciona ainda outras vantagens, entre elas a participação em até 30 sorteios pela Loteria Federal e assistência jurídica para propostas a partir de seis vezes o valor do aluguel ou mínimo de R$ 6 mil de valor total do título.

    Na MAPFRE Capitalização, são oferecidos títulos com valores a partir de R$ 1.000, para pessoas físicas ou jurídicas, pelo prazo de 12 e 15 meses. A aquisição dispensa análise de crédito e cadastral e apresentação de documentos pessoais na hora de fechar o contrato.

    Fonte: CDN, em 20.08.2019

  • mapfre

    Proteção para o segmento é construída de forma personalizada, considerando diversos fatores com o objetivo de mitigar os impactos de um sinistro

    A atividade industrial demanda um gerenciamento de processos que garantam que a planta fabril não seja paralisada por fatores externos, como a falta de matéria-prima. E o uso de reservatórios próprios é uma das principais soluções utilizadas por empresas para resguardar o seu abastecimento ou realizar o armazenamento de produtos.

    Os tanques, como também são conhecidos, podem ter dimensões variadas, de acordo com as necessidades produtivas da companhia, e serem instalados sobre o solo, em uma estrutura elevada, ou no subterrâneo.

    O diretor responsável pela área de Grandes Riscos da MAPFRE Brasil, Jonson Marques de Sousa, explica que, dentro do gerenciamento de risco que as seguradoras fazem para as indústrias, os reservatórios são um dos itens que recebem especial atenção em virtude da importância estratégia que possuem para as empresas e da potencial possibilidade de incidentes que oferecem.

    "Os reservatórios das indústrias podem ser utilizados para o armazenamento de uma infinidade de insumos, incluindo gases e líquidos inflamáveis. Por este motivo, a análise dos riscos é realizada de forma personalizada, levando em consideração o tipo da construção, volume do insumo guardado, capacidade, conservação, etc.", explica.

    Na MAPFRE, destaca o diretor, a construção da apólice é realizada considerando informações dos corretores, a experiência técnica de subscritores especializados e os dados dos relatórios de inspeção de nossos engenheiros que vão até a empresa fazer uma análise detalhada de todos os riscos. Nestas visitas, que funcionam como uma consultoria, são apontados, inclusive, procedimentos que podem ser adotados para mitigar o risco de um incidente.

    As coberturas da apólice são estruturadas de acordo com a necessidade da empresa e podem ter o valor da indenização preestabelecido ou no sistema 'all risks', que é mais abrangente.

    Marques pondera que o sinistro em um reservatório, geralmente, envolve valores elevados para reparação e paralisação da produção, razão pela qual o seguro cumpre um papel muito importante que é o de garantir, por meio de indenização, que a operação seja restaurada o mais rápido possível, minimizando as perdas.

    Líder na comercialização de produtos de Grandes Riscos no país hoje, a preocupação com a questão ambiental é mais um dos diferenciais do gerenciamento de risco realizado pela MAPFRE. "Quando falamos em produtos químicos, a questão da contaminação do solo sempre está no radar, por isso em nossas análises trazemos recomendações sobre procedimentos que evite ou mitigue danos ao meio ambiente caso ocorra um incidente."

    Fonte: CDN, em 14.08.2019

  • mapfre

    Levantamento do Serviço de Estudos da companhia vê cenário mais pessimista. No Brasil, reformas são essenciais para desenvolvimento

    A acentuação da desaceleração da economia mundial fez o Serviço de Estudos da MAPFRE revisar as projeções do relatório "Panorama Econômico e Setorial 2019", publicado pela Fundación MAPFRE.

    De acordo com a pesquisa, os principais fatores que explicam esse arrefecimento econômico desde o segundo semestre do ano passado são a perda de dinamismo na Zona do Euro; o impacto à China das medidas de normalização econômica e financeira; e o fortalecimento do protecionismo norte-americano, que afeta não apenas o comércio, mas também o investimento em escala global.

    Outro sinal de alarme é o aumento progressivo dos níveis de endividamento, tanto públicos como privados, que afetam em conjunto, mas desigualmente, diversas nações em diferentes níveis de desenvolvimento.

    Segundo o relatório, essa situação assume três formas: a dívida soberana elevada das economias desenvolvidas e das emergentes de menor tamanho; a alavancagem corporativa em crescimento, especialmente em dólares, num contexto de um ciclo descendente de matérias-primas e de baixas receitas para as empresas se autofinanciarem; e o ressurgimento da "dívida corporativa estruturada", aquela fora do setor bancário.

    No mercado segurador, essa desaceleração econômica global será transferida ao crescimento dos prêmios de seguros mundiais, especialmente nos segmentos de Não Vida e Vida risco, dada sua forte vinculação com o comportamento do ciclo econômico. Já os segmentos de Vida, poupanças e anuidades tendem ser impactados pela flexibilização da política monetária pelo Banco Central Europeu, que não deve elevar as taxas de juros até 2020 e que não tomou qualquer decisão relativa à normalização das taxas de depósito, que ainda se situam em terreno negativo.

    Economia e mercado segurador no Brasil

    Para o Brasil, o Serviço de Estudos da MAPFRE manteve a projeção de PIB de 2,3% para 2019, apoiado no consumo privado, em investimentos e nas exportações – essas últimas favorecidas por um real desvalorizado em relação ao dólar.

    Já as taxas de juros devem ficar em torno de 7% até o final de 2019 e chegar a 8% no ano que vem, graças à inflação nacional em torno de 4% e às taxas de juros nos Estados Unidos. Para a pesquisa, esse cenário levará a uma recuperação gradual do mercado de trabalho, permitindo um crescimento do PIB 2,6% em 2020.

    O estudo alerta, entretanto, que para a melhora do cenário econômico, além da reforma da previdência, é necessário também avançar a agenda de privatizações e outras reformas estruturantes.

    Para o mercado segurador local, esse momento é propício principalmente para o negócio de não-vida e de risco de vida. Se a inflação persistir nos níveis atuais (expectativa de 4,1% no fim de 2019 pelo Banco Central), isso poderá ter um impacto negativo no custo dos sinistros, corroendo a rentabilidade do negócio. Se a curva de juros livre de riscos continuar se deteriorando, haverá impacto nos seguros de vida – cuja estimativa de crescimento de prêmios para o ano é de cerca de 10,7%.

    "O Brasil é um mercado de extrema importância para nossa companhia, estratégico para nosso desempenho internacional. A recuperação da atividade econômica, certamente impulsionará o mercado segurador local, que ainda tem grande potencial de crescimento", afirma Fernando Pérez-Serrabona, CEO da companhia no Brasil.

    O estudo completo está disponível em espanhol no link
    www.fundacionmapfre.org/documentacion/publico/i18n/catalogo_imagenes/grupo.cmd?path=1099929 

    Ou em inglês em
    www.fundacionmapfre.org/documentacion/publico/i18n/catalogo_imagenes/grupo.cmd?path=1101669

    Fonte: CDN, em 23.07.2019

  • mapfre

    Novo modelo traz informações de forma mais direta e objetiva, facilitando a leitura dos resultados financeiros, sociais e ambientais da companhia

    imagm mapfre 11072019

    A MAPFRE apresenta ao mercado a nova edição de seu Relatório de Sustentabilidade que traz as principais iniciativas desenvolvidas pela empresa ao longo de 2018 no Brasil, conferindo visibilidade dos resultados locais com impacto positivo aos colaboradores, sociedade e meio ambiente.

    A 13ª edição do relatório reforça o compromisso da companhia em prestar contas à sociedade, ao mesmo tempo em que inova em sua forma de apresentação: mais sucinta e objetiva ao trazer os desempenhos financeiro, operacional, social e ambiental da MAPFRE no país, que engloba as unidades de Seguros, Investimentos, Consórcios, Capitalização, Previdência, Saúde e Assistência.

    Merece destaque o comprometimento da empresa com a questão ambiental. Como parte de uma estratégia global, no período, a MAPFRE atuou no Brasil em três principais frentes: gestão de recursos naturais e geração de ecoeficiência; gestão de resíduos e a continuidade do projeto de logística reversa de eletroeletrônicos segurados; conscientização e compensação de emissões de gases de efeito estufa (GEE).

    Na parte financeira, a MAPFRE Brasil obteve R$ 17,2 bilhões em prêmios emitidos, contra os R$ 16,6 bilhões do ano anterior. No período foram R$ 7 bilhões em patrimônio líquido, R$ 34,2 bilhões em ativos totais e lucro líquido de R$ 225,8 milhões. A regional brasileira é a segunda operação mais importante na estrutura global, atrás de sua matriz, na Espanha, e tem participação de 16% nos prêmios da MAPFRE S.A.

    "O ano de 2018 foi um período muito desafiador, passamos por uma grande reorganização que nos permitiu seguir o caminho da eficiência operacional e do crescimento rentável. O Relatório de Sustentabilidade reforça que o sucesso e a perenidade de nosso negócio também passam pela capacidade de criarmos e compartilharmos valor de forma sustentável e transparente", diz Fernando Pérez-Serrabona, CEO da MAPFRE Brasil.

    O relatório expõe a consolidação de um modelo de negócio que integra também as questões socioambientais e de governança, ampliando a capacidade de gerar valor nos diversos âmbitos da organização e para seus stakeholders. A estratégia está alinhada a princípios e acordos assumidos internacionalmente pela empresa, como o PSI (Princípios para Sustentabilidade em Seguros) e o ODS (Objetivos do Desenvolvimento Sustentável).

    O Relatório de Sustentabilidade 2018 está disponível por meio do link: www.mapfre.com.br/seguro-br/quem-somos/sustentabilidade/mapfre/

    Fonte: CDN, em 11.07.2019

  • mapfre

    Levantamento busca identificar oportunidades de contribuição com a economia e a sociedade

    A mais recente pesquisa produzida pela área de Serviço de Estudos da MAPFRE aponta que o envelhecimento da população, associado à redução das taxas de fertilidade e também ao aumento da expectativa de vida, afetará a economia global a médio e longo prazo.

    Publicado pela Fundación MAPFRE, o estudo mostra que o crescimento da população aposentada está por trás de três tendências atuais: o aumento da interdependência financeira, a estagnação comercial e o aumento da desigualdade econômica. Atualmente, cerca de 25% da população mundial tem mais de 60 anos, e a idade média populacional é próxima dos 40, ou seja, a taxa de dependência madura (índice demográfico que expressa a proporção existente entre a população dependente e ativa, da qual depende) deve exceder os 50%.

    Taxas de dependência no mundo

    O levantamento aponta ainda que o aumento da expectativa de vida vai impactar diretamente as taxas de dependência.

    Segundo o relatório, em 2019, na Europa, Austrália e América do Norte, a taxa de dependência está abaixo de quatro pessoas em idade produtiva para cada uma que atinge a idade de aposentadoria (estimada em 65 anos ou mais). Considerando essa evolução, em 40 anos, no sul da Europa e na Europa Ocidental, essa relação será inferior a 1,5 pessoas em idade ativa para cada aposentado. Na Coréia do Sul, Taiwan, Japão, Portugal, Grécia, Cingapura, Espanha, Polônia e Hong Kong essa proporção será de aproximadamente de 35%.

    No Brasil, o estudo mostra ainda que durante o período de 2019-2059, a proporção de pessoas com mais de 65 anos será de 18%. "As pesquisas desenvolvidas pela área de Serviço de Estudos da MAPFRE reforçam que estamos atentos as movimentações macroeconômicas mundiais. Esses dados nos trazem a oportunidade de entender os novos desafios dos setores onde atuamos e de aprimorarmos os nossos produtos de vida e previdência a realidade do consumidor", comenta Fernando Pérez-Serrabona, CEO da MAPFRE Brasil.

    O relatório completo está disponível nas versões em inglês e espanhol, basta acessar os links:

    Espanhol - www.fundacionmapfre.org/documentacion/publico/i18n/catalogo_imagenes/grupo.cmd?path=1100569

    Inglês - www.fundacionmapfre.org/documentacion/publico/i18n/catalogo_imagenes/grupo.cmd?path=1100996

    Fonte: CDN, em 11.06.2019.

  • mapfre

    Companhia opera soluções para mais de 60 tipos de culturas e vê carteira voltada ao campo crescer em quase 10% por safra

    O agronegócio é o principal pilar da economia brasileira, responsável por um quarto do Produto Interno Bruto (PIB) e um em cada três postos de trabalho no país. A relevância do setor motivou o mercado segurador a desenvolver soluções específicas para o campo e o governo a criar incentivos para que criações e plantações sejam protegidas.

    A MAPFRE atua neste segmento há 15 anos com um portfólio diversificado de seguros aplicável a mais de 60 culturas, além de resguardar desde a propriedade do produtor aos maquinários e benfeitorias. A companhia é a segunda do país em negócios na agropecuária e observa um crescimento de cerca de 8% por safra, saindo de R$ 406 milhões em 2017 para R$ 438 milhões em 2018.

    A superintendente de Seguros Agrícolas da MAPFRE, Catia Rucco Rivelles, explica que a importância do Seguro Rural vai além de reparar eventuais perdas na produção. "Os prejuízos do produtor por causa de uma safra perdida impactam toda uma cadeia econômica, que vai dos ganhos de um vendedor de maquinários agrícolas, por exemplo, ao preço que o alimento chega à mesa do consumidor final", pontua.

    E por fazer parte do projeto de segurança alimentar do país, o governo oferece subvenções que incentivam e facilitam o acesso dos produtores ao seguro, por meio do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Para obter o auxílio, a dica é que a apólice seja contratada antes do início da plantação. Contar com este dispositivo pode auxiliar na aquisição de financiamento da própria safra, uma vez que as instituições financeiras já vinculam o seguro rural à política de liberação de crédito.

    Mesmo com a alta importância do agronegócio para a economia, a executiva ainda acredita que a cultura do seguro entre os produtores rurais precisa ser consolidada. "Dados da Comissão de Seguro Rural da Federação Nacional de Seguros Gerais (FenSeg) apontam que de toda a área plantada no Brasil, somente 15% conta com algum tipo de seguro. Em países como os Estados Unidos, este número salta para 80% ", compara.

    Fonte: CDN, em 05.06.2019.

  • mapfre

    Companhia figura entre as dez melhores na lista do GPTW, pelo trabalho de gestão de pessoas e atenção à diversidade

    imagem mapfre 27052019

    Por mais um ano, a MAPFRE foi eleita uma das 100 melhores empresas para trabalhar da América Latina. A empresa, que atua nos mercados segurador e financeiro, ficou em 10º lugar no ranking elaborado pelo Great Place to Work, que analisou mais de 1.400 empresas, com mais de 2,2 milhões de funcionários.

    A partir de pesquisa realizada com os colaboradores das companhias participantes, o GPTW seleciona as organizações que contam com as melhores práticas de gestão de pessoas, com resultados efetivos na geração de oportunidades e no respeito às diferenças. Neste ano, o destaque foi a preocupação cada vez relevante das empresas em criar um ambiente acolhedor para todos os colaboradores, independentemente de características pessoais, como gênero, raça/etnia, idade ou orientação sexual.

    Para a MAPFRE, o reconhecimento veio por sua política de diversidade e respeito às pessoas. "Nós acreditamos que, atuando dessa forma, nos tornamos mais inovadores, criativos e com uma visão de mundo mais plural e empática", afirma Jisley Bontempo, superintendente de Recursos Humanos na MAPFRE Brasil.

    Para se ter ideia do compromisso da MAPFRE com a diversidade, há três anos a companhia faz parte do projeto Mulheres do Brasil, da ONU, que promove uma série de iniciativas em favor da presença feminina no mercado de trabalho e no ambiente de negócios. A empresa também é parceira do ACNUR (Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados), contribuindo com a empregabilidade de refugiados.

    "Todos os tipos de diversidade são importantes e enriquecem nossa maneira de pensar e se desenvolver. As pessoas têm histórias muito ricas, que agregam ao que somos muito além do âmbito profissional, mas exercitando nossa própria humanidade", afirma Jisley.

    Fonte: CDN, em 27.05.2019.

  • mapfre

    imagem mapfre 16052019

    A MAPFRE anunciou o executivo Jonson Marquescomo seu novo diretor técnico de Empresas. A área é responsável pela carteira de Grandes Ricos, que gerencia todas os contratos corporativos patrimoniais, de transportes, responsabilidade civil, entre outros. A companhia é líder nesse segmento.

    Jonson possui 27 anos de experiência no mercado segurador e na MAPFRE, onde já atuou como auxiliar-técnico de Automóvel, gerente de Sucursal, diretor Territorial, diretor de Canais Estratégicos e, recentemente, diretor Comercial Nacional do Canal Corretor. O profissional é graduado em Administração de Empresas, com especialização pelo ISE – Advanced Management Program, pela University of Navarra (Espanha).

    Com a promoção de Jonson Marques, o executivo Hamilton Torres Sobrinho, até então responsável pela Diretoria Territorial (DT) das regiões Norte e Nordeste, passa a comandar a Diretoria Comercial Nacional do Canal Corretor. Sobrinho ingressou na MAPFRE em 1999 como atendente da Sucursal e, no decorrer dos anos, atuou em diversas posições, como gerente nas unidades de Recife e Fortaleza, e DT nas regiões Amazônia, Maranhão, Piauí e, recentemente, Norte e Nordeste. Ele é formado em Administração de Empresas, com MBA em Gestão de Negócios, e integra a diretoria do Sindicato das Seguradoras do Norte e Nordeste (SindsegNNE).

    Mudanças também nas Diretorias Territoriais

    O executivo Antônio Edmir Silva Filho, que até então vinha comandando a DT Minas Gerais, assume as regiões Norte e Nordeste no lugar de Hamilton Torres Sobrinho. Já Viviane Quinalha, que respondia pela Superintendência de Massificados Tradicionais e Habitacional na empresa, passa dirigir a territorial mineira.

    As mudanças estão em linha com as diretrizes globais da MAPFRE, de oferecer oportunidades de crescimento profissional aos seus colaboradores, seja nos países de sua nacionalidade ou no exterior, em regiões onde a empresa está presente.

    Fonte: CDN, em 16.05.2019.

  • mapfre fundacion

    Trabalho desenvolvido em conjunto por pesquisadores da PUC-Rio e UERJ recebeu Auxílio à Pesquisa Ignacio H. de Larramendi

    imagem mapfre 14052019A nova edição do Caderno da Fundación apresenta mais um resultado do programa de bolsas de estudos e auxílios a pesquisas da Fundación MAPFRE. O trabalho "Otimização conjunta do capital baseado em risco e da carteira de ativos" tem como objetivo o desenvolvimento teórico e a aplicação prática de um modelo interno para otimização simultânea da carteira e do capital baseado em risco, com sustentação nas melhores práticas internacionais.

    De autoria de Davi Michel Valladão, professor do Departamento de Engenharia Industrial da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), César da Rocha Neves, professor do Curso de Ciências Atuariais da UERJ (Universidade do Estado do Rio de Janeiro) e Dimas Leão Ramos, gestor quantitativo de portfólio da Visia Investimentos, o projeto foi beneficiado, em 2015, com o Auxílio à Pesquisa Ignacio H. de Larramendi, na categoria Seguro e Previdência Social, da Fundación MAPFRE.

    "Este trabalho teve como foco a inovação tecnológica, produção científica e aplicação prática das técnicas desenvolvidas. Por meio dos recursos disponibilizados, foi possível estabelecer uma colaboração muito frutífera entre duas das principais universidades do Rio de Janeiro", afirma Valladão.

    De acordo com o professor, o objetivo principal do projeto foi a construção de um modelo interno de mensuração do valor de requerimento de capital de solvência (solvency capital requirement - SCR), visando uma ótima alocação da carteira de ativos da companhia de seguros. "Por meio de otimização sob incerteza, nosso modelo procurará uma carteira ótima de ativos que minimize o capital baseado em risco. Acreditamos que o modelo desenvolvido neste Caderno terá um impacto econômico relevante no mercado segurador por meio do aumento dos retornos dos acionistas e resultado social, graças a um aumento de confiabilidade na capacidade da empresa de honrar seus compromissos futuros".

    Por meio do pilar de Seguro e Previdência Social, a Fundación MAPFRE desenvolve atividades educativas e de pesquisa, cumprindo um de seus principais objetivos: incentivar a formação e a disseminação da cultura do seguro. "A publicação dos Cadernos da Fundación é parte fundamental do processo de intercâmbio de conhecimentos técnico e científico sobre temas ligados ao seguro. Muitos desses materiais se transformam em referência para o setor, o que nos incentiva a produzi-los ainda mais", afirma Fernando Pérez-Serrabona, representante da Fundación MAPFRE no país e CEO da MAPFRE Regional Brasil.

    O estudo completo está disponível em:
    www.fundacionmapfre.com.br/fundacion/br_pt/images/CUADERNO_DE_LA_FUNDACION_228_tcm1071-547080.pdf

    Fonte: CDN, em 14.05.2019.

  • mapfre fundacion

    Iniciativas são semifinalistas dos Prêmios Fundación MAPFRE à Inovação Social

    Três propostas brasileiras que prometem gerar impactos sociais positivos para o mercado de seguros estão entre as semifinalistas da segunda edição dos Prêmios Fundación MAPFRE à Inovação Social. A iniciativa global vai premiar com 30 mil euros um projeto de Inovação em Seguros.

    Uma das iniciativas, o 88Insurtech é uma plataforma digital que pretende revolucionar o mercado de proteção. Ela funciona também como um mercado de serviços de tecnologia de proteção mútua, permitindo prestadores de serviços (encanadores, chaveiros, eletricistas, guinchos etc.) ofereçam seus serviços, integrando todo o ecossistema de seguros. Uma característica importante do modelo de negócios é a possibilidade de personalizar o produto de acordo com as necessidades do usuário.

    Já a rede social para pequenos agricultores, Manejebem, visa incentivar a adoção de práticas agrícolas sustentáveis, agregar valor à produção e permitir maior inteligência no controle de pragas e doenças, com a criação de alertas e a conexão entre os usuários.

    O Psyalive consiste em conectar pacientes e psicólogos de todos os países da América Latina por meio de videoconferência. A plataforma funciona 24 horas, 7 dias por semana e o preço das consultas são de 30% a 40% mais baixos do que as sessões presenciais.

    Prêmios Fundación MAPFRE à Inovação Social

    Criado com o objetivo de promover soluções inéditas, de grande impacto social e com aporte total de 90 mil euros nos projetos vencedores, os Prêmios Fundación MAPFRE à Inovação Social têm ainda mais duas categorias: Mobilidade Sustentável e Segurança Viária e Melhora da Saúde e Tecnologia Digital (e-health). Além do Brasil, a iniciativa também é promovida nos demais países da América Latina, além de Europa.

    O evento da semifinal, que acontece em 13 de junho, em São Paulo, contará com um júri formado por representantes da Fundación MAPFRE e IE Business School, entidade parceria dos Prêmios, além de profissionais especializados inovação e empreendedorismo social. A banca julgadora irá escolher um projeto de cada área para ir à Madrid - junto às propostas selecionadas nas outras regiões - disputar a final em 10 de outubro.

    Além de concorrer ao prêmio em dinheiro, os participantes vão usufruir de diversos canais de promoção para seus projetos, com apoio, orientação e ajuda para comunicar e desenvolver, da forma mais efetiva possível, suas propostas por meio de mentorias para semifinalistas e coaching para finalistas. Eles também terão acesso a um plano de relações públicas para aumentar a visibilidade de seus projetos para investidores e financiadores em potencial.

    Conheça mais sobre os Prêmios Fundación MAPFRE à Inovação Social:
    http://www.fundacionmapfre.com.br/fundacion/br_pt/bolsas-de-auxilio/bolsas-auxilios/fundacion-mapfre-inovacao-social/projetos-semi-finais/

    Fonte: CDN, em 08.05.2019.

  • mapfre

    Além de garantir a integridade das pistas, as apólices contribuem para a segurança dos usuários durante a viagem

    As rodovias são responsáveis pelo escoamento de 60% das cargas transportadas entre os estados brasileiros e até mesmo para países fronteiriços. Por elas acontecem ainda 90% dos deslocamentos de passageiros, sejam a trabalho ou passeio, segundo dados da Confederação Nacional dos Transportes (CNT), que comprovam o quanto os trajetos por terra são importantes à economia e ao turismo, o que torna a integridade das autopistas ainda mais fundamental.

    E quando se trata de manter o trânsito fluindo de forma segura, não são só os carros, motocicletas, ônibus e caminhões que circulam pelas rodovias pelo Brasil à fora que precisam estar segurados. As rodovias também devem contar com suas próprias apólices.

    Segundo o diretor responsável pela área de Grandes Riscos da MAPFRE Brasil, Jonson Marques de Sousa, esse tipo de dispositivo é tão importante ao usuário final das pistas quanto para as concessionárias responsáveis. "O seguro pode ser preponderante em eventos da natureza com impactos à via, contribuindo para o rápido restabelecimento do trecho. Já quando um veículo é danificado em decorrência da rodovia, a ocorrência pode ser cabível de indenização. Em ambos os casos, contar com uma seguradora oferece mais conforto e segurança aos usuários", avalia.

    A MAPFRE é líder na comercialização de produtos de Grandes Riscos, nos quais os contratos rodoviários se enquadram. Dentro desta categoria são oferecidos:

    - Seguros para Danos Materiais, que indenizam danos materiais diretos sofridos pelos bens segurados por qualquer causa acidental que não tenha sido expressamente excluída no contrato de seguro;

    - Responsabilidade Civil do Segurado, que atribui obrigação legal do segurado em indenizar um usuário que tenha tido prejuízos materiais e corporais causados diretamente pelas atividades, existência, uso e conservação das rodovias;

    - Seguro Garantias, que ampara o eventual descumprimento de obrigações de pagamentos de outorga fixo, variável (obrigações solicitadas pelo órgão regulador competente para que a empresa possa atuar como concessionária) e de execução de obras de ampliação e melhorias.

    Sobre a MAPFRE

    No país desde 1992, a MAPFRE é um grupo multinacional que forma uma das maiores companhias de prestação de serviços nos mercados segurador, financeiro e saúde. Sólida e inovadora, está presente nos cinco continentes e conta com mais de 35 mil colaboradores. Em 2018, suas receitas atingiram cerca de 27 bilhões de euros, e o lucro líquido foi de 529 milhões de euros. Especialista nas suas áreas de negócio, a MAPFRE opera com bases de atividades sustentáveis e, no Brasil, atua em seguros, investimentos, consórcios, capitalização, previdência, saúde e assistência. A companhia ainda mantém a Fundación MAPFRE, instituição sem fins lucrativos, que promove e desenvolve atividades de interesse geral da população. Mais informações sobre produtos e soluções: www.mapfre.com.br.

    A MAPFRE Seguros possui um dos mais amplos portfólios de produtos do mercado, com proteções para todas as necessidades dos clientes nos segmentos de auto, grandes riscos, habitacional, massificados e rural. A companhia conta com mais de 19 mil corretores e 75 sucursais com presença em todo o território nacional.

    Fonte: CDN, em 24.04.2019.

  • mapfre fundacion

    A Fundación MAPFRE aderiu à campanha #SpeakUp, iniciativa da ONU (Organização das Nações Unidas) criada com o objetivo de ouvir as demandas da sociedade em relação à segurança do trânsito. Para isso, a instituição sem fins lucrativos criou uma pesquisa on-line sobre "uso responsável de celulares durante a condução".

    O objetivo da enquete, disponível na página do Facebook da Fundación MAPFRE  até 8 de abril, é definir qual medida o cidadão acha mais adequada para reduzir os acidentes causados pela utilização de celulares ao volante. Os resultados da pesquisa serão apresentados durante na Assembleia do Observatório de Segurança Rodoviária Ibero-Americana (OISEVI), que acontece em Madri, na Espanha, de 6 a 12 de maio, e, posteriormente, na Conferência Ministerial de Alto Nível, em Estocolmo, na Suécia, no início de 2020.

    Fonte: CDN, em 05.04.2019.

  • mapfre

    Em apoio à iniciativa, empresa convida todos a apagarem as luzes no próximo sábado

    No sábado, 30 de março, a MAPFRE apagará as luzes de seus escritórios no Edifício MAPFRE e WT Morumbi, na cidade de São Paulo (SP), das 20h30 às 21h30, em adesão à Hora do Planeta, iniciativa da WWF Internacional para alertar a população mundial sobre os riscos do aquecimento global e das mudanças climáticas.

    A participação da companhia na campanha reforça seu posicionamento e compromisso global com a sustentabilidade, ao promover iniciativas de conscientização e mitigação do seu impacto ambiental engajando colaboradores e a sua cadeia de valor.

    "De maneira alinhada à estratégia global da MAPFRE, buscamos gerenciar os aspectos ambientais relacionados ao nosso negócio, incluindo a utilização de recursos naturais e as emissões de gases de efeito estufa, para mitigar o nosso impacto e contribuir para a perenidade do próprio negócio", comenta Fátima Lima, diretora de Sustentabilidade da MAPFRE no Brasil.

    Além de oito anos apoiando a Hora do Planeta, desde 2013, a MAPFRE participa do Programa Brasileiro GHG Protocol, publicando anualmente o relatório de suas emissões de gases de efeito estufa.

    Em 2018, adquiriu créditos de carbono para compensar as emissões de gases de efeito estufa do 18º Congresso de Corretores de Seguros (Conec) e também como parte de uma campanha que envolveu clientes de seguro Auto no Dia Mundial Sem Carro.

    Edifício Sustentável

    Um dos escritórios da MAPFRE em São Paulo está em um edifício reconhecido com a certificação LEED (Leadership in Energy and Environmental Design) – selo internacional de construção sustentável que atesta critérios de ecoeficiência no uso de recursos naturais, rastreabilidade da cadeia na compra de mobiliário, garantia de qualidade do ar e luminosidade para os colaboradores, gestão de resíduos, entre outros.

    Em 2018, o edifício também foi certificado na versão 2015 da norma ISO14001, que reforça o compromisso da empresa na melhoria constante do seu Sistema de Gestão Ambiental, que está sendo reestruturado e incrementado com novos procedimentos, metas e indicadores para este ano.

    Além disso, a multinacional alcançou resultados como a redução de 8,6% do consumo de energia no edifício certificado, o treinamento de 96% dos colaboradores em curso de e-learning de Gestão Ambiental e participação de cerca de 200 prestadores em integração ao Sistema de Gestão Ambiental.

    Para conhecer mais sobre os principais compromissos ambientais internacionais da MAPFRE, acesse:
    http://www.mapfre.com/corporativo-pt/negocio-responsavel/compromissos-internacionais-sustentabilidade/

    Fonte: CDN, em 25.03.2019.

  • mapfre

    Empresa apresenta oportunidades de parcerias em evento realizado em Gramado

    A MAPFRE estará presente na 26ª edição da ExpoCONAC (Exposição do Congresso Nacional de Administradoras de Consórcios). De 27 a 29 de março, o evento vai reunir, em Gramado (RS), profissionais da área para palestras, debates e workshops sobre temas de interesse do setor.

    Durante o encontro, a companhia vai apresentar aos participantes seus principais produtos em seguros - Auto, Vida e Residencial -, além das oportunidades de parcerias e desenvolvimento de novos negócios.

    A MAPFRE é a principal seguradora do mercado neste segmento e oferece, além do tradicional produto prestamista, o seguro de quebra de garantia (inadimplência) para as administradoras de consórcio. "Temos buscado, cada dia mais, oferecer um portfólio completo de produtos, criando soluções adequadas às diferentes necessidades das empresas. Por meio da participação na ExpoCONAC, reiteramos mais uma vez nosso compromisso em fortalecer uma relação de longo prazo com nossos parceiros e futuros clientes", afirma Adriana Andrade, gerente Comercial de Canais Acordos de Distribuição da MAPFRE.

    Para a regional da companhia no Rio Grande do Sul, é uma honra ser anfitriã do evento. "A nossa diretoria terá o prazer de receber no Estado esse encontro anual, em que nós somos líderes e temos um canal exclusivo para cuidar desta operação", afirma Sandro Moraes, diretor territorial da MAPFRE do Rio Grande do Sul.

    Fonte: CDN, em 25.03.2019.

  • mapfre

    No período de janeiro a novembro de 2018 o incremento foi de cerca de 50%

    Levantamento realizado pela MAPFRE aponta que os empresários das regiões Norte e Nordeste do país estão mais conscientes sobre a importância do seguro para a sustentabilidade financeira dos seus negócios. No período de janeiro a novembro de 2018, a seguradora registrou um crescimento de cerca de 50% nos prêmios nas duas regiões, na comparação com o mesmo período de 2017.

    A superintendente executiva de Seguros Gerais da MAPFRE, Patricia Siequeroli, explica que as empresas de pequeno e médio porte vêm profissionalizando a sua gestão e estão mais atentas quanto à importância estratégica de uma proteção para garantir a continuidade do negócio diante de eventualidades. "Os empresários perceberam que a prevenção de incidentes futuras é algo que precisa estar no plano de negócio desde o começo, pois desta forma eles não estarão expostos as adversidades, como um incêndio, por exemplo, que pode comprometer todo o investimento já realizado no negócio", destaca.

    A executiva afirma ainda que o mercado disponibiliza hoje opções de proteções para empresas de todos os tamanhos, tendo inclusive apólices focadas exclusivamente à atividade de alguns segmentos, como academias, onde é possível incluir coberturas para danos materiais e corporais causados involuntariamente a terceiros, inclusive alunos da academia.

    "O seguro empresarial na cobertura Básica protege a companhia contra incêndio, raio, explosão e implosão. Porém, é possível complementar o seguro com coberturas adicionais, como danos elétricos, responsabilidade civil e também perda de lucro bruto, que indeniza folha de pagamento e demais despesas fixas no caso de eventos decorrentes da cobertura Básica", explica Patricia.

    Números dos estados

    Na região nordeste, a Bahia foi o local que apresentou mais procura dos empresários, com incremento de 312% nos prêmios; seguido por Sergipe (78%), Rio Grande do Norte (54%) e Ceará (54%).

    Já no norte do país, o estado que teve crescimento mais expressivo em prêmios foi Tocantins, com cerca de 144% de incremento; seguindo por Amazonas (48%) e Rondônia (42%).

    Fonte: CDN, em 22.03.2019.